Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais: A informação é a primeira ação preventiva contra a doença

A hepatite viral já é a segunda maior causa de morte entre as doenças infecciosas, depois da tuberculose. A doença chega a atingir mais de 300 mil pessoas, causando mais de 1 milhão de mortes por ano. No mundo, as pessoas chegam a se infectar com a doença nove vezes mais, do que com o vírus da Aids. 

Em 2010, a OMS (Organização Mundial de Saúde), criou o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, comemorado no dia 28 de Julho. E no Brasil, foi instaurado através da  Lei nº 13.802/2019, o Julho Amarelo, com o objetivo de realizar ações voltadas para o combate da doença. 

O que é hepatite viral?

A doença é considerada um problema grave de saúde pública não só no Brasil, mas no mundo todo. A hepatite viral é uma infecção que atinge o fígado, ocasionando alterações que vão de leves e moderadas a graves.  Ela pode ser causada por vírus ou através do uso de medicamentos, álcool e outras drogas ou ainda por doenças autoimunes, metabólicas ou genéticas. 

Hepatite Viral – Sintomas 

As hepatites podem ser silenciosas, pois nem sempre apresentam sintomas. Porém, quando ela dá sinais, podem surgir sintomas como febre, tontura, mal-estar, enjoo, dor na região do abdômen, vômitos, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. Quando não apresenta sintomas, corre-se o risco da doença evoluir silenciosamente, comprometendo o fígado de maneira grave, podendo evoluir para um câncer ou até o transplante do órgão. 

Hepatite Viral – Transmissão 

As hepatites A e E, são transmitidas através do contato com a água e alimentos contaminados. 

No caso das hepatites B e D, a transmissão é feita por contato sexual. 

E a hepatite C, é transmitida através do sangue ou através de agulhas contaminadas. 

Todas elas são identificadas através do diagnóstico clínico, que pode ser realizado na rede pública de saúde.

Prevenção 

Não se deve compartilhar itens pessoais como escovas de dente, alicate de unha, lâminas de barbear, entre outros. Usar sempre material descartável em estúdios de tatuagem, manicures, acupuntura e outros serviços de saúde e/ou procedimentos médicos e odontológicos. Outra forma de prevenção é evitar o contato com águas contaminadas, lavar bem as mãos e cozinhar bem os alimentos.

Além das recomendações acima, outra forma bastante eficaz de se prevenir das hepatites é através das vacinas. Disponíveis gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde, o SUS, as vacinas contra as hepatites tipo A e B, podem ser tomadas em qualquer unidade básica de saúde.  Ressaltando que quem toma a imunização contra o tipo B, também se protege contra a hepatite tipo D. Para os demais tipos de hepatite, ainda não existem vacinas.

Hepatite viral – Tratamento 

O tratamento varia conforme a causa da hepatite, ou seja, se é ocasionada por vírus, doença autoimune ou uso de medicamentos. Dependendo da causa, o médico deverá prescrever o tratamento mais adequado. 

Mas de maneira geral, inicialmente, indica-se o repouso,  hidratação e  a suspensão do consumo de bebidas alcoólicas. Além disso, pode ser recomendada também a suspensão do uso de medicamentos, pois durante o período de infecção, o fígado não consegue exercer as suas funções corretamente, causando uma maior produção de toxinas, prejudicando ainda mais o quadro. 

As hepatites B e D, consistem em tratamento medicamentoso e podem ser controladas. A hepatite do tipo A, o tratamento basicamente consiste em dieta e repouso. Já no caso da hepatite C, para a qual ainda não existe vacina, a cura do paciente pode ser alcançada em 90% dos casos, através de medicamentos. 

Importante lembrar que todas as hepatites virais devem ser acompanhadas de perto pelos profissionais de saúde, para evitar um agravamento da doença. 

Hepatite viral tem cura?

Para as hepatites do tipo A,C,D e E, existem tratamentos que garantem a eliminação do vírus, portanto, a cura. Mesmo em alguns casos, como o da hepatite C, para qual não existe uma vacina, a cura é alcançada em pelo menos 90% dos casos. 

Já no caso da hepatite B, ainda não existe a cura de modo definitivo, mas a carga viral pode ser controlada através do tratamento medicamentoso. 

Como já foi dito, as hepatites podem ser silenciosas, mas seus efeitos podem ser bastante prejudiciais e em alguns casos até irreversíveis. Por esse motivo, não deixe de realizar os seus exames de rotina para se certificar que está tudo em ordem com a sua saúde. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *