Dia Mundial do Terapeuta Ocupacional

Entenda mais sobre essa profissão tão importante


Em 19 de Janeiro é celebrado o Dia Mundial do Terapeuta Ocupacional, uma data e profissão super importante para muitas pessoas, com benefícios incomparáveis.  A terapia ocupacional existe para ajudar algumas pessoas com dificuldades e deficiências a executar habilidades que são essenciais para o cotidiano. Esse profissional vem ganhando cada vez mais reconhecimento devido aos diversos resultados que são apresentados e presenciados recorrentemente. 

O Dia Mundial do Terapeuta Ocupacional em 2022 precisa ser celebrado da melhor forma! Com isso, trouxemos as principais informações sobre essa profissão, para que você se aprofunde cada vez mais na terapia ocupacional e nos seus benefícios. Confira: 

O que um terapeuta ocupacional faz?

Como já falamos, esse profissional existe para ajudar algumas pessoas que têm impedimentos ou dificuldades para realizar atividades ocupacionais. Por exemplo, ao analisar seu dia, é possível perceber diversas atividades cotidianas que são recorrentes, como: tarefas de autocuidado, produtividade, momentos de lazer e atividades sociais em geral.  

São com essas funções que o terapeuta ocupacional trabalha. Habilitando e reabilitando pessoas que sofreram alguma alteração cognitiva, afetiva, perceptiva e psicomotoras.  Essas conturbações podem ser decorrentes de distúrbios genéticos, traumáticos ou uma causa não determinada. 

Outro ponto super legal dessa profissão é que eles conseguem atuar em diversos locais, como hospitais, clínicas, ambulatórios e lares de idosos. Porém, eles não ficam restritos a esses pontos de saúde, é comum ver alguns desses profissionais em alguns projetos sociais, escolas, empresas, nas casas de famílias e até em sistemas prisionais. Perfeito né?

O papel da terapia ocupacional além da saúde:

Mesmo desempenhando um papel primordial no aspecto da saúde coletiva, a formação desse profissional oferece uma capacitação para lidar com questões sociais, de reabilitação física. 

Esses profissionais trabalham em diversos locais, como hospitais, clínicas, ambulatórios e lares de idosos, mas não ficam restritos a estabelecimentos de saúde. É comum haver pessoas que necessitam de acompanhamento de um terapeuta ocupacional em projetos sociais, escolas, empresas, no sistema prisional, entre outros. 

Entenda um pouco sobre a terapia ocupacional infantil e para idosos:

Quando falamos de tratamentos médicos, sempre existem dois grupos sociais que precisam ter uma atenção a mais: crianças e idosos. 

No caso da terapia ocupacional infantil, ela visa promover a prevenção, o tratamento e a reabilitação dos pequenos. As crianças que apresentam quadros de alterações sensoriais, afetivas, cognitivas e psicomotoras são os principais grupos de pacientes desses profissionais. Mas quando sei que uma criança precisa de terapia ocupacional?  Primeiramente, em todo o processo, é necessário que seu pequeno tenha um acompanhamento profissional, ele conseguirá dar um direcionamento preciso. Porém, a terapia ocupacional infantil é mais indicada em duas situações:

  • Quando uma criança não completa as etapas esperadas do desenvolvimento infantil;
  • Responde de forma diferente aos estímulos sensoriais do ambiente.

Nesses casos, o terapeuta ocupacional consegue entender o motivo dessa mudança e planejar uma estratégia eficiente para desenvolver essas habilidades.

No caso da terapia ocupacional para idosos, os profissionais visam auxiliar e melhorar o dia a dia das pessoas que estão na terceira idade. Diante disso, a terapia ocupacional utiliza diversas práticas, procedimentos e orientações para trazer esse bem estar, permitindo que os idosos tenham maior independência, confiança e saúde. 

Muitas das práticas utilizadas consistem em trabalhar a consciência corporal, as habilidades cognitivas e as relações sociais. Tudo isso através de palestras, jogos, exercícios e oficinas. Para entender qual o melhor método para o paciente, os critérios variam de acordo com as limitações e necessidades de cada pessoa a ser analisada. Às vezes vários métodos são usados em conjunto, ou existe um foco para ser trabalhado, toda essa situação depende dos casos apresentados. Com isso, é muito importante que o terapeuta ocupacional fique atento ao contexto psicológico, sociocultural e de saúde dos seus pacientes.  

Você já ouviu falar da terapia ocupacional sensorial? 

A terapia de integração sensorial é um método muito usado por terapeutas ocupacionais, principalmente em casos de crianças com autismo, para criar os estímulos adequados. Mas os métodos para esse grupo também podem ser utilizados em outros nichos, como pessoas com síndrome de down, déficit de atenção e outras disfunções neurológicas. 

As técnicas da terapia de integração sensorial são famosas por serem consideradas “simples” e podendo ser realizadas em casa. O objetivo delas é trazer algum conforto para quem tem alguma dificuldade em processar as informações sensoriais. Assim,elas conseguem auxiliar quem tem excesso ou falta de sensibilidade em alguns dos sentidos.

Essas técnicas são feitas de acordo com a necessidade de cada paciente, algumas delas são: Toque de texturas, Brincadeiras com formas, Toque do nariz, Tapete sensorial e muitos outros…

É hora de se cuidar!

Agora que você sabe muito mais sobre a terapia ocupacional e suas várias aplicações, nada melhor do que cuidar de quem você ama!

Procure sempre os melhores profissionais, para ter os melhores resultados e tratamentos. Cuidar de si mesmo e de quem você ama é essencial, por isso, não poupe esforços para achar os melhores cuidados. Não deixe de lado aquilo que vai lhe fazer bem! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *